10 de abr de 2011

Analise: Silent Hill Origins

Plataforma: Playstation 2

Data de Lançamento: 04/03/2008
Distribuída por: Konami
Desenvolvida por: Climax Studios
Gênero: Aventura // Survival Horror
ESRB Rating (censura): Maduro (acima de 17 anos)

 
Insanidade, monstros sinistros, uma cidade envolta nas brumas e um nível de suspense fora do comum. Esses elementos podem ser facilmente identificados por qualquer fã de Silent Hill. A série já é um sucesso entre os fãs do gênero de horror a algum tempo, com um sucesso tão grande quanto o que Resident Evil, tanto que ambas as séries saíram até nas telas do cinema (e nesse aspecto, ponto para Silent Hill, que é muito melhor!).

Para você que ainda não conhece esse game, você será o caminhoneiro Travis Grady, uma pessoa que já sofria dos seus problemas de insônia antes mesmo de chegar a Silent Hill (e que com certeza só agravará seus problemas de sono...) e que tem um passado do qual ele não gosta de falar. Que pena que ele resolveu cortar caminho por Silent Hill no meio de uma noite chuvosa para chegar ao seu destino, fazendo com que ele freasse bruscamente na cidade para desviar do que aparentava ser uma criança na estrada. Assim, ele acaba chegando em Silent Hill, lugar onde, sem que ele soubesse, tudo mudaria ao cruzar com Dahlia, Alessa e a Ordem!

Menos mal que, diferente dos demais protagonistas que a série já teve, Travis sabe lutar direitinho! Segurando R1, você o coloca em posição de combate, onde ele poderá socar os monstros mais comuns! Você também terá acesso a ferros, toras de madeira e poderá também atirar alguns objetos, como vasos de álcool e cadeiras. Travis sempre te avisará olhando para os objetos com os quais você pode interagir e é sempre bom ficar de olho neles, já que se você sempre ficar utilizando o mesmo, ele quebra! Isso adiciona um pouco mais de tensão ao jogo, mas há muitos objetos disponíveis, o que sempre adiciona ação ao game. Porém, não vá pensando que os projéteis atingem a todos, já que certos monstros simplesmente resistem aos objetos atirados ou varem eles do caminho! Por isso, tenha cuidado! Ainda bem que você sempre poderá encontrar munição para as mais diversas armas de fogo espalhadas pelo caminho, e Travis contará com a função “enemy lock-on” que melhora ainda mais sua mira. Algumas pessoas podem estranhar a generosidade do jogo com a boa quantidade de munição espalhada pelo game, mas na hora do desespero, tenha certeza que você só irá querer saber de descarregar as armas nos inimigos!

Outra questionável questão é a câmera. Essa foi remodelada para dar uma visão mais dramática de certos momentos ou para passar uma sensação de claustrofobia (o que é bem feito), porém esses novos detalhes às vezes atrapalham bastante durante uma batalha, não permitindo que você veja de onde um ataque está vindo. O mesmo acontece quando você vira para um lado que não deveria, já que há locais com mudança de ângulo automático, o que poderá te deixar confuso do mesmo jeito. Certo que isso poderia ser uma limitação do PSP, por causa do tamanho mais limitado da mídia e da memória do sistema, mas por que será que os produtores não corrigiram isso nessa versão para Playstation 2? Quem sabe um segundo analógico controlando a câmera...

Além desses elementos citados anteriormente, você poderá explorar a cidade, catando itens para ter acesso às outras áreas da cidade que antes você não podia entrar, tudo com a presença da velha e boa neblina de sempre (que ainda consegue dar os maiores calafrios, como sempre). O diferencial em Silent Hill Origins é que você não é arrastado para o “outro mundo” e depois jogado de volta ao seu, aqui VOCÊ escolhe quando deve transitar entre os “mundos”, e você sempre será incentivado a fazer tais viagens, para conseguir os itens necessários para prosseguir. Mesmo assim, é muito bom ter esse controle! Travis em tudo é o mais competente protagonista até então (e o mais macho também! Para encarar tudo de peito aberto assim, nesse caos, imagine...). Você verá do que estou falando quando estiver no manicômio do jogo... Tudo isso sem deixar de mencionar os puzzles, que tem as mais criativas formas de aparecer, utilizando também essa questão de poder viajar entre os mundo (como em um onde você deverá encontrar uma mesma coisa nos dois mundos).

Silent Hill Origins também conta com os finais múltiplos, outra marca registrada da série. Ao terminar o game sua performance é avaliada, através dos itens coletados, inimigos mortos com suas próprias mãos, e isso irá liberar novos itens e opções (como colocar outras vestimentas hilárias em seus inimigos) além dos mais diferentes finais.

Entretanto, mesmo com problemas tais, o jogo consegue manter o clima que a série sempre teve, com muito caos, dimensões paralelas, tudo para arrepiar a espinha de qualquer um! Menos mal que a fantástica e assustadora trilha sonora de Akira Yamaoka ajuda a elevar o nível do jogo, assim como as atuações da dublagem de voz.

Assim, Silent Hill Origins mostra-se um bom game, que mescla elementos dos jogos e do filme para revelar detalhes da origem essa enigmática cidade! Jogabilidade divertida, produção bem feita e som fantástico fazem com que o jogo supere os problemas, tornando-se necessário para qualquer fã que ainda não o tenha jogado.

Nota Final: 8,5

6 comentários:

  1. D+ esse silent hill dispença comentários!

    ResponderExcluir
  2. Fassam uma analise do resident evil outbreak e code veronica x e também do shadow of the colossus.
    Essa analise do silent hill foi muito boa

    ResponderExcluir
  3. porque voçes nao fazem uma comunidade no orkut?

    ResponderExcluir
  4. esse eu nunca tinha visto a um tempo atras.. comprei e to jogando , já estou no mestre do teatro.. muito legal.. mas ainda o silent hill 3 é o melhor... o origins ganha nos combates.

    ResponderExcluir
  5. Sinceramente,Silent Hill é a melhor das series de terror,sempre causa medo,não importa o quanto você jogue...

    Porem esta versão é a que tem mais bugs,sou programador e sei o que digo. O mais visivel é quando você recarrega suas armas pelo iventario,por vezes,o icone se altera para o de algum item proximo... Não deveria acontecer....

    O da camera,que foi citado na postagem tambem é outro,mas este já não é um bug,é falta de atenção dos criadores,no caso,a Konami.

    Mas nada disso muda o fato de Silent hill sempre ser bom,até porque,pouco provavelmente alguem entende a historia por completop,pois as vezes seu final altera tudo,eumesmo ja zerei este game em todos os finais,o mais curioso é qoe mostra ele numa maca(isto eu queria deixar bem claro),todo lugar vai diser que ele era o butcher mas na verdade não é isso,ele não é o butcher,ele se torna o proximo...

    Pois pense bem,ele foi derrubado,ficou lutando com um demonio e logo depois o Flauros acaba trancando o mesmo... E ele acorda numa maca,e se lembra de ter tomado injeções e mais.... dai,no final aparece um ombro de um dos membros da ordem e ele se debatendo na maca... Mas ainda sim,é o unico que eu achei curiosamente estranho. Ainda sim,gosto deste game ;)

    ResponderExcluir
  6. Muito bom mas está parecendo repetitivo se comparado com os outros da série sem contar que é fácil e curto pelo menos assusta bastante.

    ResponderExcluir

Todos os Comentários são lidos e moderados previamente.
São Publicados aqueles que respeitam as Regras Abaixo:

- Não faça propaganda de outros blog/sites;
- Use o OpenID ou Nome/URL caso não seja seguidor;
- Não inclua links desnecessários no seu comentário;
- Seu comentário é nossa inspiração!
- Não respondemos comentarios 'anônimos' sem identificação nenhuma.
- Obrigado pelo Apoio ;D