11 de mar de 2011

Analise: Driver 2

Driver 2 Boxshot
Desenvolvimento: Reflections Interactive
Publicação: Infogrames
Plataforma: PS1
Lançamento:  13 de novembro 2000
Gênero: Ação
Modos de jogo: Single Player e Multiplayer
Classificação: PEGI: 12+

O primeiro jogo no bom e velho estilo 'Roubar Carros'

Driver 2 foi um dos primeiros jogos a combinar corrida, ação e missões com alta velocidade em uma cidade inspirada nas que existem hoje, com a ajuda de gráficos 3D fazendo com que você entre em um mundo onde você comanda um motorista completamente fora da lei.

A história de Driver 2 é sobre mais um trabalho do policial disfarçado Tanner agora com seu parceiro Tobias Jones a um criminoso conhecido como Pink Lenny. Existe uma iminente guerra entre gangues na cidade de Chicago, incluindo latinos poderosos e os antigos cartéis locais e o objetivo de Tanner é encontrar Lenny antes que a violência se inicie.





Os modos principais do jogo são: "Undercover" que é o modo história onde acontecem as missões. O modo "Take A Ride" é apenas para circular na cidade com o carro escolhido, sem objetivo algum. O "Multiplayer" traz pequenos modos onde se pode apostar corridas, ver quem destrói o carro primeiro entre outros.
As missões podem variar entre perseguições diretas ou no estilo espionagem onde cria-se uma barra que mostra o nível de suspeita.
No canto superior esquerdo há duas barras: uma mostra o Damage e a outra nível de procura.
Os comandos do personagem, quando está fora de um veículo, é simples, o personagem se move a uma velocidade razoável e rouba os carros, apertando Triângulo e para cima no direcional.
A forma de dirigir é muito semelhante a de carros em jogas de corrida. Se o botão X for apertado de uma vez, o carro arrancará "cantando" os pneus traseiros fazendo com que demore um pouco para sair do lugar.
No jogo existem quatro cidades que são: Havana, Chicago, Las Vegas e Rio de Janeiro.
Cada cidade possui suas próprias características retratadas, como em Havana, onde o ritmo é calmo, as ruas são estreitas e as construções tem o seu estilo Cubano, e os carros são no estilo anos 70 e 80. Em Chicago existem prédios altos, o aerotrem de Chicago e o típico ônibus escolar amarelo. Em Las Vegas pode-se ver muitas luzes dos cassinos e hotéis, e as limusines brancas também não foram esquecidas. No Rio pode se ver alguns dos pontos turísticos mais conhecidos embora o Cristo Redentor só apareça em um CG.
Os carros variam entre caminhonetes, carros de quatro e duas portas e ônibus.
O número de missões variam de cidade para cidade, totalizando 37 missões.
O jogo também possui um mapa e um GPS que marca seus objetivo, mostra onde estão carros de polícia e caso a policia te persiga, ficará piscando em vermelho.
Em Driver 2 a polícia realmente exerce sua função. Ela vai suspeitar de você se estiver em alta velocidade, e te perseguirá até que o seu carro exploda.
O clima pode variar dependendo da missão. Durante a chuva, pode-se perceber que o controle do carro fica precário e pode-se perceber os reflexos do cenário no asfalto.
No modo Take A Ride há uma forma de ver o replay de todo o seu "role" pela cidade dando um aspecto de que são cenas de um filme, podendo escolher entre diversos ângulos de câmera como: traseira, de cima, pára-choque e roda, entre outras. Existem também recursos de video como: parar, avançar e regredir, dando mais dinâmica a esse recurso.

Image 1

Os sons dos carros são muito repetitivos, só são diferentes quando você dirige os caminhões ou ônibus e pode-se ouvir os sons do pneu derrapando e buzinas por todos lados.
Existem buzinas e sirenes que são ativadas quando você pega uma ambulância ou um carro de polícia.
As vezes quando estamos dirigindo, pode-se perceber as musicas saindo de dentro dos carros que andam pela cidade.
Nos CGs o áudio do jogo mostra o seu verdadeiro potencial e são bem realistas.
Quando há uma perseguição cria-se uma música de fundo com batidas rápidas dando muita ação ao jogo.

Image 11

Os gráficos dos carros são bem detalhados, mas quase não há reflexo da carroceria, dando um certa "fosquidão" aos vidros e a lataria do carro.
O nível de destruição do carro é considerável, e com algumas batidas à frente do carro, a mesma fica completamente amassada, o capô dobra e é arrancado, expondo o motor.
As laterais amassam completamente, e as portas saem.
Os cenários são compostos por prédios, casas, galpões e pontes; uma coisa que se percebe, é que alguns prédios são idênticos fazendo com que o cenário fique um pouco repetitivo.
O gráfico do personagem que controlamos tem a mesma textura de todas as pessoas que caminham nas ruas, as roupas são simples, e tem-se impressão de que elas estão pintadas no corpo. Os rostos das pessoas também são simples e sem detalhes.
As sombras só estão presentes no personagem que controlamos e no carro, e a quem diga que na sombra de Tanner há dois rifles desenhados.
No jogo quase não há sangue, até porque se trata de um jogo "teen". Quando você avança com o carro em alta velocidade para cima de um pedestre, a pessoa vai simplesmente correr para um lado (muitas vezes para dentro das paredes) tornando-se impossível ferir uma pessoa.
Os CGs são o ponto alto dos gráficos no jogo. São muito bons para a época, o movimento dos lábios são bem detalhaodos diferentemente de muitos jogos da época. O efeito de luminosidade solar é impecável. Os CGs se mostram em parâmetros de PS2.

Image 45

A inteligência artificial do jogo é simples, mas traz momentos de agilidade. Os carros param quando o semáforo está vermelho.
A polícia vai te perseguir se você dirigir loucamente. Ela desvia dos carros se estiver na mão certa da pista, mas não vai desviar de postes de eletricidade que não são destrutíveis. Ela irá bater em você até que o seu carro vire sucata. Se você estiver em uma avenida, cuidado, pois pode surgir uma barreira policial te cercando completamente.
Como já dito antes, não há como ferir uma pessoa nesse jogo, pois ela vai correr para algum lado, muitas vezes entrando nas paredes como fantasmas.
Você também perseguirá nesse jogo, em que o carro que estiver fugindo de você dificilmente cometerá algum erro.

Image 7

Driver 2 foi um jogo inovador e influente, exemplo disso é a serie Grand Theft Auto.
Possui uma jogabilidade que jamais foi vista na época misturando aspectos de ação e corrida, tornando-se uma combinação perfeita para um jogo.
Este jogo é realmente um clássico do Playstation.

Prós

- Os gráficos dos CGs;
- O Modo multiplayer;
- O tamanho das cidades;
- A jogabilidade;
- O replay com muitas funcionalidades.

Contras

- Os gráficos durante o jogo estão fracos mesmo pra época;
- Missões repetitivas;
- Baixa interatividade com o cenário;
- Sons repetitivos.


Notas:

Diversão: 10
Jogabilidade: 9.5
Gráficos: 8.5
AI: 8.5
Áudio: 8.0

Nota Final: 8.9        

9 comentários:

  1. Graças ao driver 2 o GTA colocou o estilo 3D e tiro a tela de cima

    ResponderExcluir
  2. Sem driver 2 não existiria o grande gta IV.

    ResponderExcluir
  3. nosssssssss Driver2 era d+ apesar q preferia o primeiro titulo mais driver 2 era muito bom.... passava horas e horas jogando no modo Multiplayer num especie de "pega pega" (num etendam mal por favor pessoal) em q batiamos o carro no outro jogador e depois fuigia ow se escondia em algum lugar principalmente nos cenarios baseados em Havana era muito divertido... essa é uma ideia otima fazer analises de psone ja q se naw fosse ele naw existiria ps2 e grande classicos como a serie driver surgiram nele .

    ResponderExcluir
  4. Cara, só uma correção nessa análise: O Cristo Redentor aparece sim no Rio de Janeiro, acesse o blog e veja um print do local em que ele está.

    ResponderExcluir
  5. Outra correçãozinha: Por mais que você bata a frente e a lateral do veículo, diferente do que foi dito, o capô e as portas não saem, apenas ficam um pouco amassadas.

    ResponderExcluir
  6. Simplesmente épico, quem nunca ficou horas jogando Drive 2. Meus domingos eram bem mais legais jogando este game. Nas ferias juntava a galera e jogávamos, muito bom. O GTA para Ps1 ainda era com aquela visão aérea e o Drive 2 fez a diferença. Quando comprei o Ps2 esperava muito do Drive 3 e me decepcionei quando joguei, comprei logo apos o lançado. Depois disto desanimei de Drive para o Ps2. A Atari não soube da uma sequencia ao altura das versões anteriores.

    ResponderExcluir
  7. muito ral driver 2 para ser ps1 parabens pela analise
    e parabens a produtora do jogo a ATARI

    ResponderExcluir
  8. ESSE JOGUINHO FOI BOM DE MAIS>>>>PENA QUE NÃO TINHA COMO PEGAR O TREM!!!LEO

    ResponderExcluir

Todos os Comentários são lidos e moderados previamente.
São Publicados aqueles que respeitam as Regras Abaixo:

- Não faça propaganda de outros blog/sites;
- Use o OpenID ou Nome/URL caso não seja seguidor;
- Não inclua links desnecessários no seu comentário;
- Seu comentário é nossa inspiração!
- Não respondemos comentarios 'anônimos' sem identificação nenhuma.
- Obrigado pelo Apoio ;D