9 de jan de 2012

Analise: Silent Hill 3

Ano de lançamento: 2003
Desenvolvido por: Konami.
Distribuído por: Konami.
Gênero: Horror/survival.

Depois de se consolidar como uma franquia de horror/survival no Playstation, Silent Hill 2 manteve o bom nível, mas pareceu dar um tropeço de leve nas próprias pernas, graças a um enredo muito desconexo e um protagonista pouco carismático. Em 2003 isso foi corrigido com Silent Hill 3, que é sem favor nenhum o melhor game da franquia até hoje. Ta certo que a Konami não se preocupou em inovar em nada a formula que consagrou a série, mas só de ter a usado com maestria já foi suficiente. Some isso com uma história que vai agradar principalmente aos velhos fãs e uma heroína confusa e amedrontada. Essa é a receita que garante às 6 horas de terror do game. A trama gira em torno de uma jovem chamada Heather, que começa a ser cercada por acontecimentos sombrios após encontrar com um detetive que afirma saber detalhes sobre o seu nascimento. Qualquer outro detalhe sobre a trama estragaria a surpresa, por isso é aconselhável que você jogue até o fim para saber o que acontece.

O pesadelo começou.



A apresentação do game dispensa rodeios. Você estará sozinho em uma cidade onde alguma coisa muito ruim aconteceu, com uma horda de inimigos te caçando e uma penca de enigmas para resolver. O game se desenrola por locações aparentemente comuns; shoping, hotel, parque de diversão e até o clássico hospital está presente, todos cheios de segredos a serem descobertos. As localidades são bem amplas e explorá-las é muito divertido, mas também difícil. O jogador tem a sua disposição um mapa muito útil, que marca salas onde você já entrou, portas trancadas, portas quebradas, itens importantes e até puzzles que ainda precisam ser solucionadas; com certeza nenhum outro game possui um mapa tão útil quanto Silent Hill. Os puzzles estão mais intuitivos nesta edição, coletar itens para progredir continua sendo o foco da mecânica, ainda há puzzles onde é preciso solucionar charadas, dispensando o uso de itens. Por vezes é necessário combinar dois ou mais itens para prosseguir.


A Konami nunca deu atenção para os combates, e isto infelizmente não mudou com Silent Hill 3. Eles servem apenas para dar um pouco mais de ação, mas seus problemas só servem pra frustrar o jogador. Heather não tem um arsenal muito variado, além de uma pistola, escopeta e metralhadora há as armas brancas, que são canos, machados e até uma faca. Como de costume a munição é contada e aqui os inimigos não costumam ser derrubados com menos de 5 disparos. O uso de armas de curto alcance deixa Heather vulnerável devido a sua lentidão na hora de desferir golpes. Mas a coisa fica ainda pior nesta edição, pois os corredores estão mais povoados de monstros do que antes, forçando o jogador a limpar o caminho, já que será necessário passar nele mais de uma vez.

Os combates chatos são camuflados, graças a um foco especial que o game tem na exploração. Além disso, todos sabem que o melhor de Silent Hill é o seu terror psicológico, que ficou meio a desejar em Silent Hill 2. Heather parece ser a protagonista mais humana até agora, pois as vezes Harry e James não pareciam demonstrar medo diante dos eventos dos games passados. Já heather é muito mais assustada, e consequentemente, passa mais tensão para o jogador. A dimensão alternativa também está de volta a sua velha forma neste game. É interessante ver as cenas não interativas cada vez que isso acontece. Silent Hill 3 consegue ser o game mais assustador da série, sem muito esforço.

Realismo.


Os gráficos de Silent Hill 3 estão entre os mais realistas feitos no Playstation 2 até hoje. Os ambientes são atormentadores, com sujeiras em cada canto, aquele sinal de que pessoas já viveram ali, paredes manchadas de sangue e tudo mais. O hospital merece destaque, pois é o cenário mais medonho do game todo, principalmente na dimensão alternativa. É impossível o jogador não pensar como estaria se realmente estivesse vivendo aquela situação, pois os cenários mostram um ambiente onde você realmente não iria gostar de estar. O realismo é impressionante até no design de cada um dos personagens; Heather e as sarnas no seu rosto, Douglas e sua barba, Claudia e seu olhar demente; para a época as expressões eram incríveis e aumentavam ainda mais a experiência do game. Os efeitos sonoros ajudam a complementar o clima grotesco de Silent Hill 3, com uivos vindos de lugares qualquer, ruídos que não parecem ter identificação e músicas bem atípicas. As dublagens também ganham destaque graças a ótima interpretação de cada personagem, todos incorporaram de forma singular cada fala apresentada em diálogos muito bem construídos.

Um clássico eterno.


Silent Hill 3 mantém a série em alta, sendo o episódio mais bem produzido da série, tanto na história quanto na jogabilidade. Os combates não empolgam, mas a narrativa é atraente e mantém o interesse do jogador até o fim. Não da pra negar que Silent Hill 3 agrada em especial os amantes do terror psicológico e dos jogos mais cerebrais. Se há um fator que desanima é que o game é realmente muito curto, ainda que o replay seja motivado pelo fato do game ter três finais seria ideal que o game durasse pelo menos umas 10 horas. Silent Hill 3 promete bons momentos de susto e tensão, unidos a uma diversão única. Para aqueles que não ficaram muito satisfeitos com Silent Hill 2, esta nova aventura promete ser mais expressiva e instigante.

Notas:
Gráfico: 10,0
Sons: 10,0
Jogabilidade: 9,5
Diversão: 10,0

Aprovado:
- O enredo é muito mais bem bolado que o de Silent Hill 2. Com personagens mais cativantes e mais humanos.
- Puzzles intuitivos e divertidos.
- Clima tenso e condizente com a trama.
- Parte técnica perfeita.

Reprovado:
- Combates fracos e irritantes.
- Apenas 6 horas de duração.

Escrito por: Lipe Vasconcelos.

15 comentários:

  1. Vou tirar um dia e jogar esse jogo =D
    Pela analise parece muito bom.

    ResponderExcluir
  2. Ótima análise este jogo é realmente show de bola!!!!
    Agora estou jogando o shatered Memories e o Origins!!!!!
    Continue o bom trabalho, adoro suas analises!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Shatered Memories é um lixo! Nem deve ser colocado lado a lado com a franquia! Fãs de verdade de Silent Hill nem consideram essa porcaria.

      Excluir
  3. olhem so isso:

    http://jogos.uol.com.br/ultimas-noticias/2012/01/10/firme-e-forte-playstation-2-vendeu-500-mil-unidades-no-final-de-2011.htm

    ResponderExcluir
  4. estou jogando silent hill 3 no modo Hard e já estou no ultimo chefe:D

    ResponderExcluir
  5. Esse pra min é um dos melhores da série, continuação direta do silent hill 1 do Psx, claro que o melhor da série e o Silent hill 2 isso é induscutivel mas o 3 tem os melhores gráficos.


    Obs: ja zerei todos os silent hill incluindo o shatered Memories.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual a diferença do psx pro ps1????

      Excluir
  6. Eu achei o Silent Hill 2 muito chatinho, sério mesmo!

    ResponderExcluir
  7. Tipo Silent Hill 2 no inicio eu quase desisti de jogar principalmente pelos gráficos (que nem e tão ruim) mas a o poucos fui gostando, o que faz ele ser melhor que os outros silent hill pra min é a História, ponto fortíssimo do jogo.
    Oque eu considero um “Contra” em Silent Hill 2 talvez seja a jogabilidade mesmo que na verdade eu ja até me acostumei.
    Os gráficos eu considero um ponto forte afinal se pensar bem o jogo foi lançado em 2001 uma era que a maioria dos jogos do ps2 tinha gráficos horríveis, então está de ótimo tamanho pra época e esculaxa muitos jogos laçados pro ps2 recentemente.

    ResponderExcluir
  8. estou baixando esse game vo ve se eu passo ele

    ResponderExcluir
  9. Um dos melhores jogos do PS2 e, embora eu prefira ele, é inegável que a trama do Silent Hill 2 é melhor do que a do 3. O legal é que a do 3 é continuação direta do 1, o que é bacana pra quem jogou o 1. Realmente apresenta alguns dos melhores gráficos já vistos no PS2, melhor que muitos jogos que vieram depois dele, inclusive, e com expressões faciais absurdamente realistas. Vale notar que não existem somente níveis de dificuldade do jogo, mas tem os níveis de dificuldade dos puzzles pra ser escolhidos também. O que aumenta o replay do jogo.

    E não, o combate não é chato.

    ResponderExcluir
  10. Essa protagonista do jogo parece com a protagonista do 1° filme do Silent Hill kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como tem retardados sobre Silent Hill nesse país, meu Deus. Primeiro que Silent Hill Revelations é o SEGUNDO FILME! Segundo que a protagonista de Silent Hill Revelations é que foi inspirada em Heather! Terceiro, vai estudar a série antes de postar merda.

      Excluir
  11. Em boa parte da análise o jogo é chamado de Silent Hill 2... E diz que Heather tem sarna...

    ResponderExcluir

Todos os Comentários são lidos e moderados previamente.
São Publicados aqueles que respeitam as Regras Abaixo:

- Não faça propaganda de outros blog/sites;
- Use o OpenID ou Nome/URL caso não seja seguidor;
- Não inclua links desnecessários no seu comentário;
- Seu comentário é nossa inspiração!
- Não respondemos comentarios 'anônimos' sem identificação nenhuma.
- Obrigado pelo Apoio ;D