23 de jan de 2011

Prince of Pérsia: The sands of time





Ficha técnica:
Gênero: Ação/Aventura
Distribuidora: Ubisoft
Desenvolvedora: Ubisoft Montreal
Plataformas: PS2, Xbox, GBA, GC e PC
Número de jogadores: 1
Data de lançamento: 10/11/03

Apôs se enganado pelo vizir, o príncipe da Pérsia, junto a sua nova companheira, tem que usar a adaga do tempo para consertar seu erro e salvar seu povo antes que o vizir alcance seu plano maligno.


A história se dá início quando o exercito do príncipe da Pérsia e seu pai invade uma cidade, uma vez dentro do enorme palácio da cidade o principe encontra a adaga do tempo e retorna com ela para Pérsia junto com as areias do tempo e muitos prisioneiros. O vizir estava entre os prisioneiros e convence o pai do príncipe a ordenar que seu filho finque a adaga nas areias do tempo jurando que algo maravilhoso iria acontecer, o problema então começa, depois de fincada a adaga libera as areias do tempo que transformam todos no palácio em zumbis de areia, com exceção do vizir, o principe e a princesa da cidade atacada. Sua aventura se inicia nesse ponto, quando o vizir foge com as areias do tempo e cabe a você impedir que ele consiga a adaga e o impeça e complete seu plano.


O grande diferencial desse game se encontra na jogabilidade, o príncipe é capaz de correr em paredes, andar em cordas e muitas outras artimanhas para alcançar locais inacessíveis a uma pessoa qualquer, porem ele não é do tipo mais forte ou resistente podendo uma pequena queda de uma plataforma matá-lo de uma vez só, felizmente o príncipe estará portando a adaga do tempo praticamente o jogo todo e com ela o jogador pode com um apertar de botão voltar o tempo para desfazendo um erro fatal, é possível ver o personagem fazendo tudo de traz pra frente em câmera lenta enquanto se segura o botão e parando no momento que o botão é solto. É mais simples do que parece, mas a adaga tem seu limite e para poder voltar o tempo é necessário que o jogador recolha a areia dos inimigos em batalha para recarregar um medidor. Outro efeito interessante é o de poder ver o futuro, quando o jogador chega a um save point ele tem uma pequena visão do futuro mostrando as batalhas e cenários que estão próximos.

Pode se dizer que as batalhas do game envolvem muito mais estratégia do que simplesmente esmurrar o botão de ataque, como disse no início o protagonista não é dos mais resistentes e alguns golpes podem derrubá-lo rápido, se o jogador não aproveitar bem as habilidades acrobáticas do príncipe verá a tela de game over muitas vezes. O jogador tem dois botões para ataque, um para ataque com a espada e um para atacar com a adaga e recolher com a mesma a areia dos inimigos caídos, processo muito importante uma vez que se a areia não for coletado o inimigo ficará de pé novamente. Para sobreviver aos combates o jogador deve usar bem o botão de esquiva e o botão que faz o príncipe fazer suas acrobacias, com esse segundo o jogador pode tomar impulso em paredes para atravessar inimigos com a espada, dar um mortal na parede para ficar novamente de frente ao inimigo e entre outras coisas, o jogador também pode usar o botão de salto para correr por cima do inimigo e enfiar a adaga ou a espada no seu peito.

Para deixar as coisas mais interessantes o jogador não é o único que quer impedir o vizir, a princesa se une ao príncipe para encontrar as areias do tempo e desfazer todo o problema. A garota não tem a mínima chance de enfrentar os inimigos corpo a corpo então sua forma de colaborar nos combates é usando seu arco e flecha a uma distância segura, mas mais do que apoio nos combates ela o ajuda nos quebra cabeças, ela é capaz de se esgueirar por passagens estreitas e ativar mecanismos e alavancas que o jogador não consegue. A princesa também dá um pouco mais de vida ao game, a maior parte do tempo é desvendar quebra cabeças e lutar, se não fosse por ela conversando com o jogador e dando dicas a cada instante a aventura seria um tanto monótona.
Mesmo com sua jogabilidade única Prince of Percia não seria nada sem seus cenários, cada um foi projetado pra desafiar o raciocínio do jogador, são vários mecanismos, portas e muitas vezes armadilhas espalhadas pelas salas que se forem vistas olhando para frente não aparentam ser tão grandes, mas basta olhar para cima para notar o quanto vai demorar pra sair delas. O desafio tem uma dificuldade na medida certa, não sendo fáceis e tão pouco muito difíceis, normalmente para sair de uma sala deve-se ativar alguma alavanca para abrir uma porta, porém muitas vezes essa alavanca esta em um local inacessível a primeira vista e o jogador deve com a ajuda d a princesa e da adaga do tempo ativar diversos mecanismos e alavancas até abrir a porta. Tecnicamente os cenários são muito bonitos e bem construídos, são poucos objetos que atrapalham o jogador e podem ser destruídos o que garante menos problemas nas horas das batalhas.
Em geral dá para dizer que todo o visual do game é bem trabalhado, os inimigos e os cenários são ricos em detalhes, não dá para comparar a God of War por exemplo, mas ele está acima da média se tratando de gráficos. As músicas estão na média, aparecem durante as batalhas e momentos mais empolgantes, talvez o silêncio seja o melhor mesmo enquanto o jogador pensa em como alcançar a saída de um cenário. As dublagens são boas, porém o personagem tem a voz baixa, não sei bem se minha TV é que não esta configurada corretamente, mas os passos do príncipe fazem mais barulho do que a voz dos personagens, felizmente há legendas e vale bem à pena prestar atenção na história e nos diálogos, pode não parecer no início mas o game tem uma grande história a contar.

Belos cenários, uma boa história, batalhas desafiadoras, muitos quebra cabeças e idéias inovadoras fazem de Prince of Pérsia um game eterno para nosso console, há pequenos problemas com a câmera às vezes e é comum a tela de game over uma vez que algumas armadilhas são cruéis e muito difíceis de notar ou esquivar, mas o desafio lógico e também de habilidade contornam esses problemas e garantem algumas horas de diversão.

Pontos positivos:
- Belos cenários e gráficos em geral.
- Poder voltar no tempo a qualquer momento.
- Uma boa história.
- Jogabilidade única.

Pontos negativos:
- O comportamento estranho da câmera às vezes.
- Algumas armadilhas praticamente impossíveis de desviar.

Notas:
-Gráficos: 10
-Parte sonora: 8
-Jogabilidade: 10
-Diversão: 10
-História: 9
-Replay: 8

Nota Geral: 9

10 comentários:

  1. Prince of Pérsia The sands of time é absolutamente espetacular, sua história e seu enredo a jogabilidade é perfeita, esse sem dúvida é o melhor da trilogia do ps2. já finalizei o 1,2,3!! esse é o 1.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mim dda dicas como pasa da faze do tunel subterranio

      Excluir
  2. tambem zerei a trilogia.... o 1 é otimo e a analise foi otima

    ResponderExcluir
  3. fechei os 3 mas o meu favorito eh o warrior within
    a hisotia tem ramificaçoes e tem um estilo mais dark do que os outros games da serie,alem de tem como tema musical a musica I stand alone do godsmack.

    ResponderExcluir
  4. kkk saquem so prince of persia sands of casamento
    desenhado por min http://atacrazy.blogspot.com/2011/01/sands-of-casamento.html

    muito bom

    ResponderExcluir
  5. prince é lindo,toda a trilogia do ps2 é foda.

    ResponderExcluir
  6. como se faz o chaper 5 nos 10% do price sands

    ResponderExcluir
  7. como passe a fase da estatua

    ResponderExcluir
  8. a abertura de shinobido devia ta na lista das dez melhores

    ResponderExcluir
  9. Nunca tinha jogado nenhum jogo do Prince of Persia mas ja tinha visto muitos amigos jogarem.Mas vendo meu irmão jogar ele no ps2 acabei gostando e resolvi jogar também e acabei zerando depois de um tempo.Por causa desse jogo virei um grande fã da série.

    ResponderExcluir

Todos os Comentários são lidos e moderados previamente.
São Publicados aqueles que respeitam as Regras Abaixo:

- Não faça propaganda de outros blog/sites;
- Use o OpenID ou Nome/URL caso não seja seguidor;
- Não inclua links desnecessários no seu comentário;
- Seu comentário é nossa inspiração!
- Não respondemos comentarios 'anônimos' sem identificação nenhuma.
- Obrigado pelo Apoio ;D