3 de mar de 2012

Top 7: As melhores trilhas sonoras.




Hoje muito se discute sobre o modo com que os vídeo games são vistos na cultura popular. A conclusão é que essa industria se tornou uma arte tão importante quanto a literatura, cinema e música. O fato é que nos dias atuais os games são um apanhado de tudo isso. Jogos como Metal Gear Solid e Indigo Prophecy se desenvolvem como um intenso filme, com momentos tristes, alegres, engraçados e tensos. Algumas tramas são tão bem escritas e desenvolvidas que muitos jogadores até imaginam como seria tal game se fosse transformado em um livro ou até em filme. Muitos fatores contribuem para construir a atmosfera de um título, entre eles temos as músicas. Pensando nisso o Playstation 2 Eterno traz um Top 7 com as trilha sonoras mais incríveis que o console trouxe ao longo desses 10 anos de existência. A seleção é difícil, mas consegui reunir aquelas que conseguem causar a sensação ideal durante aquela partida emocionante de seu game favorito. Lembrando que está lista reflete numa opinião pessoal, não sendo levada como oficial e nem a sério. Seu principal intuito e divertir o leitor de nosso humilde blog!

7º Maximo VS Army of Zin.
O herói de cuécas de Ghouls ´n Ghosts foi reinventado em Maximo: Glory to Ghost, um game feito para saudosistas de plantão. O título fez tanto sucesso que a Capcom não fez cerimônia em lançar uma sequência. Em Maximo VS Army of Zin o cavaleiro se une a Morte para salvar o mundo de um exército de máquinas que é movido a almas. A premissa é boa e o game ainda se finca nos pilares da nostalgia. Se fosse apenas pelos gráficos (que não chegam a ser feios, apesar de muito simples e às vezes até lembram obras de Tim Burton) Army of Zin seria um título tecnicamente casual aos olhos de qualquer jogador. Mas a trilha sonora do game faz de Army to Zin uma batalha épica pelos confins de um mundo atacado por máquinas mal assombradas. Nas primeiras fases jogamos em vilarejos e florestas, que intercalam com canções moderadas e orquestradas que inspiram mistério e terror. Mas basta começar a escalar as montanhas assombradas para que exploda um repertório heróico digno do cavaleiro de cuecas, com peças orquestradas inspiradas que se unem com perfeição aos acontecimentos na tela. As composições também são épicas e soam na cabeça do jogador após algum tempo de jogatina.



6º Castlevania – Lament of Innocence.
Lament of Innocence chegou ao mercado com a difícil tarefa de ”perdoar” os lastimáveis títulos da série no Nintendo 64. Nas mãos de Iga o título conseguiu ser interessante, mas faltou muito para ser um jogo 3D de qualidade indiscutível dentro da série. Entre erros e acertos o maior trunfo deste Castlevania foi uma ambientação marcante e original. Leon Belmont parte para o castelo para salvar Sarah, sua noiva que foi raptada pelo vampiro Walter. Após adquirir a arma clássica do clã o jovem Belmont parte para a moradia majestosa e hostil do vilão, com suas torres, laboratórios macabros, capelas e monstros infernais. No entanto a trilha sonora nos remete ao sentimento de que sua busca já estava fadada ao fracasso. As canções em geral fazem o jogador entrar no clima de uma jornada triste e emocional, onde salvar sua amada nunca foi tão importante. A canção da fase House of Sacred Remains é uma das mais emblemáticas do jogo todo. Com uma introdução brutalmente dolorosa de órgão sinfônico e uma batida contida, unida a um belo piano fica difícil não se lembrar de uma cerimônia religiosa, ou de um funeral. As demais canções usam diferentes instrumentos orquestrados, todos com aquele tom de jornada sem esperança. Após muitos combates levados a um clima de solidão vem a fúria do combate final, nos levando a uma das composições mais viscerais da franquia, misturando todo o sentimento de ódio e tristeza que os momentos finais de Lament Of Innocence proporcionam ao jogador.


5º Devil May Cry 3 – Dante´s Awakening.
Quem nunca se divertiu com Dante: O filho do demônio Sparda e caçador de criaturas das trevas? Em Devil May Cry 3 o jovem caçador vive os acontecimentos que o levam a formar sua conhecida firma de caçar demônios. Também conhecemos os motivos do embate com seu irmão gêmeo, Virgil, num dos games de ação mais divertidos do Playstation 2. Mais do que um herói poderoso e corajoso o jovem Dante também tem estilo e rock in roll na veia. Prova disso está na visceral trilha sonora de Dante´s Awakening. Ela se divide em duas etapas: Nos momentos de exploração e busca de itens temos uma canção tensa e com um toque de agonia, como se uma criatura das trevas estivesse observando cada passo dado por Dante. Mas quando o exército de Virgil surge entra em cena um poderoso rock com batidas eletrônicas, que causa uma empolgação indescritível, inspirando o jogador a fatiar cada criatura das trevas que estiver ao seu alcance. Poucos jogos conseguiram combinar combates brutais com uma trilha tão empolgante como a série Devil May Cry faz, mas a superação com certeza veio neste terceiro capitulo da franquia.


4º Silent Hill 3.
Ruídos que soam desconexamente e barulhos sem aparente compreensão podem ser o tipo de trilha mais fula possível, mas esse caso não se aplica a Silent Hill. O terceiro episódio da série é sem dúvida o mais perturbador da franquia até hoje! A trama que remete a jovem Heather ao autoconhecimento, mas de uma maneira macabra e aterrorizante. A trilha sonora em Silent Hill 3 é do tipo ambiental, mas que não se esconde de forma alguma. Há momentos em que composições depressivas em piano ajudam a compor cenas de diálogos ou em momentos onde exploramos um lugar de extrema importância para Heather. Mas no geral as músicas são compostas por ruídos distantes que se resumem em gritos e coisas se arrastando pelo chão. Também há uivos de lobos, barulhos de coisas pegajosas que parecem se proliferar a sua volta e incomodo nos ouvidos que ajudam a deixar o jogador totalmente amedrontado. Um monstro em particular parece entoar uma canção de zombaria quando se aproxima, por vezes fazendo lembrar uma macabra cantiga de criança. Silent Hill 3 deixou bem claro que está trilha ambiental ajuda a compor o clima assustador deste fantástico game de terror psicológico. Para completar temos a música tema do game, You´re Not Here, escrita especialmente para a introdução do game. Uma canção que com certeza você colocará em seu I Pod se parar para ouvir e ler a letra.


3º Metal Gear Solid 3 – Snake Eater.
Não é por que sou fã das produções da Konami, mas coincidentemente as melhores trilhas vêm dos games da mesma produtora, e eu seria muito injusto se não colocasse Metal Gear Solid 3 – Snake Eater nesta lista. Todos nós sabemos que a saga de Hideo Kojima é um exemplo de game cinematográfico, onde cada evento se desenvolve como uma produção de Hollywood. Uma trama de espionagem regada à corrupção e sangue, vivida por personagens de alma e coração. Falar que um game assim possui uma trilha sonora acima do soberbo é muito natural. O game todo é ambientado em uma ilha Soviética, uma verdadeira selva. A trilha sonora geralmente entra em ação em momentos de adrenalina em que Snake é detectado por um inimigo, ou em um combate feroz contra um dos membros da unidade cobra. Essas músicas geralmente nos remetem à temas de ação intensa, onde a canção nos deixa realmente nervosos enquanto foge de um soldado russo. No entanto há músicas que surgem nas cenas não interativas assim como em um filme, fazendo de cada uma delas uma verdadeira explosão cinematográfica na tela. O ponto alto desta trilha está em Snake Eater, que assim como You´re Note Here também foi escrita especialmente para o game. Parte da batalha final contra The Boss é silenciosa, mas nos momentos final a voz de Cynthia Farrel nos emociona, fazendo deste um dos combates finais mais lindos da história dos vídeo games. Uma curiosidade: Cynthia Farrel já emprestou sua voz para Konami antes. Ela também interpretou I Am The Wind, o polêmico tema romântico que encerra Castlevania – Symphony of The Night, do Playstation.


2º God of War 2.
O que podemos esperar de um jogo ambientado na era dos Deuses, onde o protagonista é um Deus caído que busca vingança contra Zeus em um cenário majestoso e repleto de seres mitológicos e sangue sendo derramado? Fazer uma apresentação a God of War é indispensável, e o que era bom ficou ainda melhor em God Of War 2. Kratos, o fantasma de Esparta, está mais furioso que nunca e planeja conquistar o poder das irmãs do destino para tirar a vida do senhor do Olimpo, Zeus. Com uma premissa tão fantástica é lógico que as canções do game não poderiam ser menos que épicas. As peças de orquestras são das mais poderosas já vistas em um jogo até hoje, com uma batida de impacto e até corais. Cada música consegue ficar no ouvido do jogador de tão divina. O maior destaque vai para a música presente na batalha contra Perseu, e mais para frente, Zeus. God Of War 2 tem um clima de aventura mitológica em todos os sentidos, não seria estranho que a sonorização seguisse o mesmo padrão. Medalha de prata para o poderoso Kratos.


1º Final Fantasy XII
Quem leva a medalha de ouro é Final Fantasy XII, exclusivo do Playstation 2 e considerado por muitos o melhor RPG do console. A saga de Vaan e seus amigos pelo mundo de Ivalice ganhou uma série de melhorias, tanto gráficas quanto na jogabilidade. Quando se trata de trilhas sonoras a Squarenix não brinca em serviço. Desde sempre FF é conhecido por incríveis trilhas musicais que traduzem sentimentos diversos em seus jogadores. Mas não contente em apenas traduzir em FF XII tudo está muito mais primoroso. O tema desde episódio está deslumbrante, com um arranjo acima do normal, mesmo para um jogo. Cada personagem possui um tema próprio, que consegue traduzir com maestria um pouco da personalidade de cada herói do game. As canções clássicas estão aqui, como manda o figurino. O que realmente chama atenção é como cada música se encaixa em cada aventura proposta ao longo do game, e sabemos que em um RPG isso é essencial. A emoção de cada composição foi trabalhada com êxito. Isso é traduzido em músicas orquestradas que poderiam ser usadas em qualquer opera sem o menor esforço. Cada peça instrumental inspira vida própria, sem contar que as músicas em si ficam na cabeça do jogador. Seja você fã de Final Fantasy ou não, a trilha de FF XII é indiscutivelmente fantástica!


Menções honrosas.


The Godfather – The Game.
O livro homônimo de Mario Puzzo está marcado na cultura mundial, não apenas pelo livro, mas pela excelente adaptação de Francis Ford Copolla nos três filmes que compõem essa fantástica trilogia. O Poderoso Chefão narra à intensa vida da máfia americana entre as décadas de 40 e 50. A Eletronic Arts aceitou o desafio de reconstruir esse universo em The Godfather, sendo um título tão interessante quanto à série Grand Theft Auto, e em alguns aspectos até melhor que o game da Rockstar. A saga dos Corleone é pontuada por uma bela trilha sonora, mas que não entra no ranking oficial por um único motivo: As músicas não foram compostas para o game, e sim para o filme, não sendo uma trilha original. Mesmo assim, só o fato de ouvir o tema principal do filme já é um deleite para os ouvidos.


Prince of Persia – The Warrior Within.
Está é uma trilha que tinha tudo para ser memorável, mas um pequeno detalhe pôs tudo a perder. A trilha foi colocada no jogo errado! Sim, os temas rock tétricos de Warrior Within não combinam em absolutamente nada com a proposta do título. A tentativa era simples, fazer com que as músicas soassem tão sombrias quanto o resto do game. Se não tivesse usado a batida de rock com certeza teriam alcançado o objetivo. Mas acabou sendo uma piada na linha do tempo do jovem príncipe.


Star Wars – The Force Unleshead.
O que seria viver as batalhas épicas de Star Wars sem as músicas clássicas que compõem o filme? Assim como The Godfather, The Force Unleshead usa e abusa de uma trilha fantástica, mas que não foi feita para o game. Mas não restam dúvidas de que caçar os Jedis na pele de Starkiller ficou bem mais empolgante ao som da obra original.


Escrito por: Lipe Vasconcelos

5 comentários:

  1. bem que poderiam ter colocado Persona 3 ou 4 na lista '-'

    ResponderExcluir
  2. Mas cá entre nós,quem esqueçe da trinha sorona de "SHADOW OF THE COLOSSUS" Quando estamos em cima de um gigante de 4 metros,é simplesmente eterno!!!
    Otima materia,concordo em quase todos,Abraços
    ((RODRIGO))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo, "the openned patch" é o nome de uma delas, realmente fica na cabeça

      Excluir
  3. Gostei muito do post. Muito criativo ,espero novos posts como esse (não necessariamente sobre trilha sonora).E é bem escrito também,parabéns.
    Concordo o com cara de cima, Shadow of the colossus tem uma das melhores trilhas que já ouvi. Concordo com a maioria do top 7, especialmente Final fantasy(Nabuo uematsu) que é uma clássico das trilhas de video game e metal gear que tem uma abertura no estilo 007 o que aproxima ainda mais a saga com a narrativa cinematográfica.
    A que eu não gosto é a de Prince of persia: warrior within não por ser ruim como foi dito ,mas por estar no lugar errado. Mas o jogo é massa(um dos motivos pra eu ter um ps2).

    ResponderExcluir
  4. Apesar d ser d ps1
    um jogo com músicas otima e agitada
    pra quem gosta de um bom rock
    é o twisted metal 4

    show
    o jogo, e as músicas ;)

    ResponderExcluir

Todos os Comentários são lidos e moderados previamente.
São Publicados aqueles que respeitam as Regras Abaixo:

- Não faça propaganda de outros blog/sites;
- Use o OpenID ou Nome/URL caso não seja seguidor;
- Não inclua links desnecessários no seu comentário;
- Seu comentário é nossa inspiração!
- Não respondemos comentarios 'anônimos' sem identificação nenhuma.
- Obrigado pelo Apoio ;D