26 de mai de 2012

Análise Twisted Metal Black



Ano de Lançamento: 2001
Desenvolvido por: Incognito Inc.
Distribuído por: Sony Computer Entertainment
Gênero: Ação / Corrida e destruição com carros

Twisted Metal Black foi o primeiro game de destruição de carros lançado para o PlayStation 2, e logo de cara fez um baita sucesso. O game é a continuação da franquia Twisted Metal que obteve muito sucesso no Playstation (Psone) com os títulos: Twisted Metal, Twisted Metal 2, Twisted Metal 3, Twisted Metal 4 e Twisted Metal: Small Brawl. Algum tempo após o lançamento, saiu uma versão do mesmo jogo com suporte on-line intitulado Twisted Metal Black On-Line.

Enredo
A história do game continua corriqueira para quem já conhece a série, Calypso mais uma vez cria um torneio de destruição com carros e vai conceder ao vencedor qualquer desejo, no entanto desta vez, Calypso resolveu recrutar os competidores em um Manicômio, então todos os personagens tem uma história por assim dizer emblemática, o que da um tom sinistro ao game.

O Game
O jogo segue o esquema e a estrutura dos anteriores do Psone, com modos Single Player e Multiplayer. No Single Player temos a atração principal do jogo o Modo “story” onde você poderá escolher entre um dos 10 personagens (Tendo ainda mais 5 desbloqueaveis) e deve passar por 8 níveis até chegar ao fim, durante o percurso a história do seu personagem vai sendo contada através de cutcenes em CG. Cada história tem sua motivação e seu lados mórbidos que farão o game ficar cada vez mais obscuro. Ainda no modo songle Player temos os modos Challenge e Endurance, no primeiro você escolhe um mapa especifico para testar sua habilidade contra “n” inimigos que podem ser escolhidos por você, já no segundo você enfretará em um mapa pré selecionado vários inimigos seguidamente com apenas um vida, indo até máximo que você conseguir resistir.



No multiplayer você conta com o “2-4p Death Match”, onde você poderá jogar com até 4 jogadores num death match no melhor estilo Mad Max. Temos também “2p Coop” (Oriundo dos antigos Twisted Metal) onde você junto com um amigo pode destrinchar o game do inicio ao fim no melhor estilo Story, mas sem as cutcenes. Também está disponível o “2p Last man stand” que é um tipo de endurance onde os 2 players escolhem diversos carros e vão se enfrentando e trocando de carros até que apenas um resista na arena.


O game conta também com uma excelente trilha sonora que serve muito bem para os mapas caóticos e a destruição insana do game, nos créditos pode-se conferir também a performace do Roling Stones de “Paint it Black”.

Gráficos
O jogo tem gráficos bem fracos, com texturas bem simples que cumprem seu papel, mas que sempre deixam uma impressão de que poderia ter sido mais bem feito. Alguns mapas são bem grandes enquanto outros não, e apesar da criatividade empregada nos levels os cenários não agradam visualmente. Os veículos no entanto são bem modelados, no entanto não esperem nada demais.

Jogabilidade
O jogo tem uma jogabilidade rápida e precisa com comandos bem definidos. As armas podem ser alteradas com o r1 e l1, enquanto que pode-se utilizar as mesmas com o l2, já o r2 aciona a metralhadora (muito forte, mas limitada). Para controlar o carro podemos utilizar tanto o direcionais como o analógico esquerdo, com o analógico direito podemos acelerar e dar marcha ré (respectivamente o colocando para cima ou para traz). É possível também acelerar com o “□”, frear com “○”, além de acionar uma visão com retrovisor com o “∆”. Tudo flui muito bem. O game é bem rápido então é necessário precisão nos controles para não ser detonado rapidamente.

Replay
O jogo não é tão longo, se você estiver apenas interessado em termina-lo, no entanto ele conta com muitos personagens (15 no total), cada um com suas histórias no modo Story, além também dos outros modos que podem render várias horas de game play, tanto no Single como no Multiplayer. 


Detalhe, o jogo é bem difícil à primeira vista, é necessária bastante dedicação para se familiarizar com os mapas e as localizações de armas e vidas tão necessárias, para que você possa enfim dominar as arenas de batalha, mas tanto esforço vale a pena uma vez que o game proporciona uma diversão muito alucinante. No entanto pela dificuldade acredito que muitas pessoas que queiram apenas jogar o modo campanha possam torcer o nariz e desistir do mesmo.

Conclusão
Particularmente eu adorei o game, ele é muito divertido, mas é bem difícil no começo, vamos dizer que a curva de dificuldade que deveria ser progressiva não é nem um pouco progressiva. As cutcenes do modo história são bem legais (apesar de não serem muito bem trabalhadas), elas passam bem a sensação de tristeza e vingança das histórias.


O modo multiplayer Coop é muito show, e faz juz aos antigos do psone. Quem gosta de games de velocidade e destruição não pode deixar este aqui passar, mesmo com seu gráficos datados o game é bem legal.

Obs: Para quem se interessar vou colocar aqui um link de um vídeo meu fazendo unboxing do game, onde eu mostro mais ou menos o que vem na caixinha com o game original. Segue o link:

Um comentário:

  1. Cara, ótima analise desse belissimo jogo.! Parabens ae pelo pessoal do blog.!

    ResponderExcluir

Todos os Comentários são lidos e moderados previamente.
São Publicados aqueles que respeitam as Regras Abaixo:

- Não faça propaganda de outros blog/sites;
- Use o OpenID ou Nome/URL caso não seja seguidor;
- Não inclua links desnecessários no seu comentário;
- Seu comentário é nossa inspiração!
- Não respondemos comentarios 'anônimos' sem identificação nenhuma.
- Obrigado pelo Apoio ;D